21 outubro 2010

 

cortar ao meio II (ou a vingança do meio)

Se porventura questionaram a minha obsessão pelo caracol, ficam a saber que o fizeram depois de mim.

Hoje, não satisfeito com o episódio de ontem, dirigi-me à mesma pastelaria e pedi da forma mais assertiva que me foi possível:
- Quero um caracol, mas sem ser cortado ao meio.

Ao contrário do que imaginei, o mesmo empregado de ontem serviu-me o caracol sem qualquer franzir de olhos e lá vim eu todo satisfeito, para iniciar o meu famoso ritual de degustação de um não menos afamado bolo.

Mas em pleno êxtase de tão solene cerimonia, no limiar do nirvana, eis senão quando, o meio (leia-se miolinho fofo cheio de frutas e creme) do caracol me cai ao chão.

Jamais consegui imaginar tragédia maior.
Perante tal acontecimento, um caracol partido ao meio não é mais que um mero sobressalto.

Caracol não é donut e o buraco não tem virtudes.

Mas algo me diz que o cabrão do empregado tem ar de terrorista...
Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?