06 novembro 2008

 

Santa Engrácia para padroeira nacional

Quando hoje em dia se fala de Santa Engrácia, não se pensa imediatamente na história da santa, mas sim da famosa história que está associada às obras da Igreja com o mesmo nome.

Assim sendo (mas apesar de não o ser) esta santa tem vindo a adquirir o pelouro pelas obras inacabadas.

Agora digam-me lá se, em vez daquela que é considerada a padroeira de Portugal (a outra, a Nossa Senhora da Conceição), não deveria ser antes a Santa Engrácia.

Pois é nessa santinha que penso, sempre que vou à paragem da Ameixoeira do Metropolitano de Lisboa. As famosas escadas rolantes desta estação estão encerradas (com as típicas fitinhas branco e vermelho) vai fazer um bom punhado de meses. Mas o mais ridículo é a própria empresa também não saber quando é que as obras vão acabar.

Acedi ao site do Metropolitano de Lisboa, preenchi uma 'sugestão/reclamação' com a pergunta e aguardo pacientemente pela resposta.
Claro está que neste momento todas as suposições são válidas:
- Ou o metropolitano de Lisboa está-se a borrifar para a resposta (leia-se borrifar para os utentes);
- Ou achou que se tratava de uma brincadeira (mas nisso são peritos - a brincar com os utentes);
- Ou a pergunta acabará por chegar (mas optou por vir nas escadas rolantes da estação da Ameixoeira)

Deixo aqui uma sugestão às relações públicas do Metropolitano de Lisboa:
Respondam-me ao meu e-mail na próxima 4ª feira e digam-me que as obras da estação da Ameixoeira são uma "instalação marada" (leia-se arte moderna) integrada nas comemorações do 60º aniversário. O programa “O Metro ConVida às 4ªs” ficará mais rico e diversificado e com um bocadinho de sorte até conseguem vender a estação ao Berardo
Comments:
LMF vou ver o q se passa com as escadas depois digo-te qq coisinha...
 
Pois é. Também eu já subi as escadas uma vez mas há elevadores, menos mal.
É o que temos, não digo que merecemos, mas temos.
 
Penso que o facto de as escadas não funcionarem é certamente mais um apelo à diversificação da utilização dos transportes públicos. Confesso que há alguns meses resolvi regredir no que à sociedade e meio ambiente concerne, e voltei a ir de carro para o trabalho (saem uns trocos valentes do bolso, mas ganhei alguma qualidade de vida). Já não podia com os atraso, o sovaco junto ao nariz, as pisadelas e o ar respirado por 50 outras pessoas. Por estas, essas merdas, e por outras, é que não consigo apontar o dedo a quem (tal como eu faço agora) não anda de transportes públicos.
 
Eh pá... não ando de metro há tanto tempo!!!!!
 
Eu concordo.
Assino para a Santa ser a padroeira!

É sempre a mesma coisa neste país...
 
LOL.
Passo eu a vida a assinar papéis e no fim ninguém faz nada.
Pfuuuuuu

Beijos
 
Bem, eu acho que a atitude do Metropolitano deve ser louvada, uma vez que se insere na mesma política de melhoria da qualidade de vida exercida pelo governo quando aumenta o preço dos bens essenciais.
Comer menos bifes, andar menos de carro e subir escadas rolantes avariadas faz bem à saúde e sempre se poupa no ginásio.
A propósito de ginásio, moro a 50 metros de um (o que a minha cara-metade me tem chateado a molécula por eu não abrir mão dos 30€ mensais que fariam o milagre de me diminuir a "berriguita...) e acho um desperdício aquela malta toda estacionar o GTI em cima do passeio mesmo em frente, em vez de aproveitar para fazer uma caminhada de 30 metros.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?