05 setembro 2008

 

O guarda nocturno

Um guarda-nocturno trabalhava numa empresa especializada em lapidação de diamantes.
Uma manhã ele contou a seu chefe um sonho que tivera na noite anterior.
Disse que o avião que ele viajaria com destino à Rússia sofreria um acidente e, em consequência, todos os passageiros morreriam.
Seu chefe, jovem executivo, dinâmico e empreendedor, tinha verdadeiro pânico de aviões.
Assustado com a informação do empregado, decidiu cancelar o voo.
Três dias mais tarde, leu nas manchetes dos principais jornais que aquele avião caíra no mar e, até o momento, não havia notícias de sobreviventes...!
Imediatamente chamou o guarda-nocturno, mostrou a notícia do jornal, agradeceu efusivamente pelo aviso que lhe salvara a vida e, a seguir, sem nenhuma explicação, despediu-o da companhia.
O guarda não compreendeu porque tinha sido despedido depois de salvar a vida do seu chefe.

Pergunta:
- Porque foi despedido o guarda?
Resposta:
- Sendo guarda-nocturno, se ele teve um sonho à noite, é porque estava dormindo em serviço...!

Comments:
Já não se pode ser bom ;D.
 
Pois. foi a primeira coisa que me chamou atenção. Mas não tava a ver qual era a resposta. loira.


hehehe!!!!!!!


Bom dia!!!!!!!!!!!!
 
Patrão moderno, dinâmico e rigoroso exige cumprimento das tarefas.
E sonhar não era tarefa do guarda:::
Boa piada.
Abraço
A. João Soares
 
Um chefe de lapidação muito lapidar...
 
Não sei se ache mais piada à história ou ao processo que usaste no mail, para criar o suspense necessário a estimular a curiosidade em saber o desfecho da história.
Boa malha!
 
Ah! porque teremos tanta preguiça de pensar? Só pode ser esse o motivo de não acertarmos na resposta...
Abraço.
 
É o tal rigor cego e estúpido. Se o patrão o tivesse despedido logo no dia em que o guarda lhe comunicou o que tinha sonhado na noite anterior, vá lá que ainda poderia entender.
Mas o que aconteceu foi que o patrão fez fé numa informação pouco credível, seguiu o irracional duma superstição e a paga foi à posteriori dada em dose de racionalidade.
Seja como for, este episódio mostra o amargo pelo que passou o James Watt ao ser despedido, pelo facto de ter inventado um mecanísmo de abertura automática das válvulas nas máquinas a vapor. A missão dele, ainda adolescente, era a de abrir manualmente as válvulas de admissão, fecha-las e abrir as de escape repetindo todo o dia isto para manter um motor em funcionamento. Imagine-se isto nos nossos carros ehehehe! Tá a ver uma viagem onde para além do volante, dos pedais e dos comandos diversos, teríamos o tablier coberto de torneiras para abrir e fechar 3000 ou mais vezes durante cada minuto!
Pois a invenção que permitiu entre outras coisas o comboio a vapor,e depois, dum modo geral todos os veículos que usam a queima de combustivel, foi premiada com o despedimento: também o jóvem génio tinha sido contratado para "torneireiro" e não para malandrear enquanto uns quantos arames e varões faziam o trabalho automaticamente aproveitando o movimento do engenho a vapor.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?