17 julho 2008

 

A veiazinha e a agricultura da vida


Todos nós temos uma veia criativa que tal qual um músculo, pode-se desenvolver mais desde que devidamente exercitada.
Faz já alguns anos que desisti de manter os meus músculos tonificados, mas faço questão de dedicar as ditas horas de ginásio ao desenvolvimento dessa veia.

Como me considero um tipo porreiro e bastante social, acreditem que a minha veia criativa se dedica exclusivamente a fazer bem aos que me rodeiam (e a mim próprio, claro está). Mas por vezes dou com a imaginação a fazer cenários capazes de fazer corar de vergonha ilustres estrategas como Napoleão ou diplomatas como Maquiavel.

Estou satisfeito com o resultado da minha estratégia e acredito no resultado da colheita.

Acredito em algumas máximas:
- nem tudo o que se semeia nasce.
- decididamente apenas nasce se for semeado.
- por vezes colhemos aquilo que não semeamos.
- apenas colhemos o que queremos (mesmo quando somos nós a semear).
- e enquanto se colhe, vai-se semeando.

Digamos que neste momento estou na fase de pousio, mas aguardo com alguma ansiedade a fase da colheita.


Comments:
Deixa-te de merdas pá... mas confesso que gostava que fosse 1º ministro desta treta. Podia ser que aí as coisas entrassem nos eixos.
 
Luis,
Queres com isto dizer que vais de férias?! rs...rs...
Se fores, descansa bem para voltares com a verve literária bem adubada...
Beijos
Isabel Mestre
 
Portanto, és agricultor!
 
Pelo blog já tens prai uma artéria criativa ( e uma horta).;)
bjoo
 
eu semeio mt, e colho tb muito... as x colhemos o k nao semeamos, mas eu como sou moça pratica, costumo ver k me enganei e deitar a colheita k nao me interessa para tras das costas!!

mas nao deixo de semear!!

tou a gostar...
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?