25 julho 2007

 

E agora, algo completamente diferente...

- Mas eu não percebo nada de música nem conheço o artista...
- Vai lá e fazes algumas perguntas sobre o último disco!

E lá fui eu, sem o mínimo de preparação para a entrevista.
O artista pelo menos era simpático e falava português. Estavam reunidas as condições para a pseudo-entrevista não ser um autêntico fiasco.

- Diga-me então, como descreve o seu último disco?
- Não é um disco conceptual!

Conceptual????
E agora, que pergunto eu?
Ainda bem que não é um disco conceptual, pois não sei o que é um disco conceptual ... e também não sei o que não é um disco conceptual ! ! ! ....

Acabámos a falar de Lisboa e sobre o disco nem mais uma palavra...



Comments:
Agora surgiu-me uma dúvida.. és jornalista? ;)
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
Um disco conceptual é um disco que, como o próprio nome indica, tem um "conceito" definido por trás. Significa isto que as várias canções que compõem o disco fazem parte de uma estória, seguem todas a mesma linha condutora. Ou seja, apesar de terem alguma autonomia individual, o facto de pertencerem a um álbum conceptual liga-as de uma forma mais marcante e forte do que num álbum não conceptual, no qual cada uma das canções tem uma autonomia de 100% em relação às outras.

Um bom exemplo de um álbum conceptual na música portuguesa é o genial "10.000 Anos Depois Entre Vénus e Marte" do José Cid, ou o "Ser Maior - Uma História Natural" dos Delfins. O Fausto também tem um ou outro.


Um álbum não conceptual é portanto o contrário do q se escreveu. Um bom exemplo destes é qualquer um da maioria dos discos editados.


Ass. Keeper
 
Caro tremoço,
Obrigado pela explicação, pois independentemente do post, eu tinha de facto essa dúvida.

Em resposta ao 22, tal como digo no título, tratou-se de um post completamente diferente... não, não sou jornalista (e nem tive de me fazer passar por um).

Um abraço
 
Parabéns e Obrigado.

És das poucas pessoas que ainda me faz rir. O mais exraordinário da coisa é o facto de nem sequer nos conhecermos.

:)

Abr
 
LOL
 
Como é normal não concordo. Neste caso com o tremoço radioactivo.

O uso da palavra conceptual por muitos artistas Portugueses, não é mais do que a necessidade se usar uma palavra "culta", mesmo não sabendo o seu significado. Se soa bem, usa-se. São merdas de pseudo-intelectuais.

conceptual
do Lat. *conceptuale de conceptu

adj. 2 gén.,
relativo a concepção ou aos conceitos.

Ou seja, o usar a palavra "conceptual" para definir um disco, não é mais do que, não saber o que dizer.

Falando de um disco, livro ou qualquer outra coisa, poderá ser conceptual para mim, mas não para quem ouve. Porquê? Porque os conceitos não são os mesmos.

Para ser ou não ser conceptual, tem de haver um conceito ao qual esse disco possa ser comparado. Sem isso a palavra é vazia de significado.

Qual é o conceito de disco?
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?