14 maio 2007

 

Desaparecida

No passado dia 7 desapareceu mais uma criança e a MERDA dos nossos órgãos de comunicação social nada disseram.
Mas afinal porque falam de uns e não falam de outros?
Mas que critérios informativos são esses?
Infelizmente a prova de que necessitávamos para ver que há muitas diferenças entre o ALLgarve dos Ingleses e o POORtimão dos portugueses...

No Algarve é normal os empregados virarem as costas a quem fala português. Será que a polícia também já faz algo semelhante?

Comments:
Pois!
:(
 
agora é que tu falas-te bem a nos no algarve tratam-nos que nem cães a minha sorte é que custumo ir para a praia da rocha portimão e ja tenho la um restaurante de um portalegrense pk de resto entrar noutro sitio qualquer mais vale falar ingles e tal lol

Bjokas

Boa semana
 
Já não vou ao Algarve há alguns anos. É caro, muita confusão e serviços de merda!
Realmente não ouvi falar dessa menina desaparecida...será que estão todos muito ocupados com a pequena inglesa??!!
É o nosso pequenino portugal...

beijokas
 
Efectivamente e como descrevemos no Alfinete...uns são filhos e outros são enteados! Espero que encontrem a Inês!

Temos dito.
 
o tipo da sic quando foi a conferência de imprensa da judiciária perguntou-lhe se fosse uma criança portuguesa se adjudicavam tantos meios como foi agora para uma criança inglesa e o tipo da judiciária ficou todo ofendido.
 
Só há uma palavra: vergonhoso!

O blogue já está adicionado à lista de favoritos do Vaga Aberta. Voltarei cá com mais calma. Está prometido.

Boas bloguices

PFM
Vaga ABerta
 
Agradeço a visita que me fez e a amabilidade de deixar uma nota de simpatia.
Volte sempre!
 
Também me sinto um pouco ofendida com isto tudo, sinceramente.
Espero muito que a menina apareça, sã e salva mas acho que isso queremos todos.
Já me disseram que quando foi o caso da Joana (Algarve), a Polícia também fez tudo, o que eu acredito.
Mas então e o resto da Joanas e Joões que não têm destaque nenhum?!?!??!
Este comentário também é para os media que falam tanto em injustiças sociais e depois tendem para a fantochada.
O que será que o nosso Governo andará a fazer na surra, para nos deixar assim tão distraidínhos?!?!?!
E sobre a Inês que falas, partia os dentes todos quando apanhasse o tal namorado de 20 que tinha convidado para passear em Lisboa, a minha filha de 13.
O caso desta miúda e o da Madeleine não é de todo parecido, mas eu captei a tua indignação que, pelos vistos, é igual à minha.
 
essa crianaç perdeu-se da casa dos pais, não desapreceu..mas sim faltou meio e apoios na busca dessa criança.
Mas espero que a pequena Maddy seja encontrada sã e salva.
 
Volta e meia, chega mais um alerta por e-mail para uma criança desaparecida. Como já por várias vezes se provou que esses e-mails eram falsos, inclusive com números de telefone para contacto aldrabados, uma pessoa vai deixando de prestar atenção aos apelos que assim nos chegam. Este brincar com a nossa boa vontade acaba por nos afastar de qualquer acção. Confesso que se recebesse por e-mail um qualquer apelo para ajudar a encontrar a Inês, a primeira coisa que faria era desconfiar e telefonar para ver se os números de contacto eram verdadeiros. E é nisso que o jornalismo faz - ou deveria fazer - bem mais do que blogs e e-mails: legitima uma qualquer notícia, dá-lhe alguma visibilidade e envolve-nos num assunto. Mas a histeria colectiva no caso da miúda inglesa está (tirando os que gostam de folhetins) a cansar as pessoas. E isso nunca é bom sinal. No fim, só deixa alguns de nós ainda mais alheados dos media.
 
Desculpe mas a sua expressão ' No Algarve é normal os empregados virarem as costas a quem fala português', não corresponde à realidade.
 
Tens toda a razão. E falta a outra situação que, felizmente, ainda não se verificou e esperamos que nunca se verifique: se fosse uma criança portuguesa a desaparcer na Inglaterra, portar-se-ia a polícia inglesa como a nossa neste caso? E os media britânicos, rtambém chamariam incompetentes aos seus polícias? Oxalá nunca o venhamos a saber...
Obrigado pela visita.
Mefistófeles (www.tapornumporco.blogspot.com)
 
Infelizmente, acho que tens razão... há diferenças, sim!...
Beijos
 
Concordo com o Ludovicus Rex. Não sei porque fazes a ligação de uma criança desaparecida com alegados maus serviços dos "empregados" do Algarve. Já tive a oportunidade de dizer que isso não corrresponde à verdade mas é uma ideia que já está pre-concebida na cabeça de certas pessoas. A questão fundamental é que existem boas e más pessoas por todo lado e nem todas aqueles que manifestam mau ca´racter ou são maus "empregados" vieram parar ao Algarve. Nada mais errado do que meteres todas as pessoas no mesmo saco. Não o deves fazer porque certamente não gostarias que o fizessem a ti.

Quanto à questão da criança desaparecidade, pois estamos de acordo. Tal como pudeste ler mo meu Poste.

Um abraço.
 
Sabes que o turismo no Algarve é muito importante e por isso, é bom que se mostre "lá para fora" que os turistas podem continuar a vir porque se acontecer alguma coisa, far-se-ão os possíveis e os impossíveis para a resolver.

Também não estou de acordo com este aparato mediático...
 
Excelente post, e uma visão bem clarividente da nossa realidade, ‘poor... realidade’, é claro que há diferenças, e se dúvidas existiam, dissiparam-se ontem no programa ‘prós e contras’, com o testemunho da mãe Rui Pedro

:|

Abraço
 
há que ter cautela ao fazermos estes julgamentos!

A actuação da policia pode ser tão eficaz e adequada em ambos os casos...mas a imprensa essa sim, dá mais visibilidade a uns casos que a outros!
Essa diferença mediática pode induzir em erro em relação à actuação das autoridades.

Eu sinceramente acredito na nossa PJ...são reconhecidamente competentes dentro e fora do país.
 
Concordo contigo LFM. é uma vergonha, estão a dar tanto destaque (não é que não mereça) ao caso da menina inglesa e esqueçem-se dos casos de desaparecimentos de crianças portuguesas.

Estão com medo de quê? que os Ingleses deixem de vir ao Algarve e então estão a dar destaque para provar que somos eficientes??

Gosto muito do Algarve mas em época baixa, quando há pouca confusão, onde os empregados de mesa ainda nos tratam com alguma dedicação!

Esperemos mesmo que a policia não vire costas às crianças desaparecidas, como é o caso da Joana que já está a cair em esquecimento como outros que ainda não apareceram há 10 anos!

beijinhos
 
LFM, obrigado pela resposta. lamento não concordar contigo, pois, por exemplo, já fui muito mal atendido em Lisboa e no entanto gosto de ir ai e sinto-me me casa.
Quanto á miuda inglesa, pois leste o meu Poste e sabes o que penso. Nesta parte, estamos (também, infelizmente)de acordo. Digo-te, gostaria de estar errado neste aspecto, mas não creio.
Um abraço!
 
esta criança não desapareceu, fugiu de casa com o namorado de 12 anos!

telefonaram para casa informando a familia que estavam em lisboa!

podem consultar o site http://www.policiajudiciaria.pt/htm/pessoas.htm
 
acho que não devemos confundir as coisas.

Uma coisa e sair e não quere ser encontrada outra é desaparecer involuntáriamente!

para falarmos em injustiça teremso que falar, nas joanas, nos tiagos, etc...
 
A casa está vazia.
Subo as escadas e tu apareces,
às vezes,
com as cores do Outono.
Vejo um vulto, és tu
que me deixas uma marca
sobre a minha palidez.

Já não queres aprender
com o passado e só preferes
gritar, chegar ao fim da vida
para então descobrir
que não viveste.

Já não falas e não te moves,
e no entanto a minha vida estremece,
assaltada pelos teus gemidos profundos.
O pranto cresce nas ruas da amargura
porque abandonas a terra,
olhando para trás.
Então, agora vislumbras a beleza e a alegria que nunca tiveste,
porque os medos em que viveste
te impediram de ser feliz.
Os meus dedos continuam a fechar
os olhos...
dos guerreiros mortos.

Quero agradecer, respeitosa e sinceramente, a todos aqueles que fazem do "nosso"

http://lusoprosecontras.blogspot.com
um ponto de encontro onde a Amizade, a Paz e o Bem nos fazem sentir e viver a vida com mais AMOR.

BEM-HAJAM!


Felicito-te, também, por me presenteares com este teu maravilhoso blogue. Gosto muito de aqui "ancorar".
 
Amigo, este teatro muito dele é fruto da comunicação social inglesa.

Claro que a pressão funciona. Mas acredito que a polícia faz o mesmo trabalho, quer se trate de A ou de B.
 
tens toda a razao.......
temos uma naçao muito madrasta!!!!

bj
 
Porque será que a maior parte das crianças portuguesas raptadas nunca foram encontradas?
E quantas desapareceram de pais com bom nível social?
Houve algum ricalhaço deste mísero país que oferecesse um cêntimo a quem as encontrasse?
Apenas vi uma notícia do desaparecimento desta criança num jornal diário.Pequena, porque outra coisa não podia ser. Já havia 2 folhas com a Maddie.
E o Rui Pedro ? quanto a mim não o encontraram logo porque não seguiram as pistas da mãe.
E...porque em Portugal só se começam as buscas 48 horas depois do desaparecimento.
Não há dúvida que a nacionalidade e o status social têm muita importância.
boa semana
 
Inacreditável e inaceitável.

Abraço
 
chamam-se critérios informativos da treta, pacóvios e terceiro-mundistas, tal como as pessoas a fomentam este comportamento subserviente.
tb escrevi sobre isso. pq mete nojo.
saudações
 
É verdade, sim senhor!
(isto apenas a propósito do tratamento dado ao turista 'tuga' em terras dos Allgarves...)
Sou testemunha disso: ao cabo de muito anos, em Julho de 1994, voltei ao Algarve (estava a passar uns dias de férias ali para os lados de Odemira). Entrei por Vila do Bispo e subi a Mértola, saído de Vila Real de Santo António. Isto durante três dias. Que significou duas dormidas, três almoços, dois jantares e uns quantos apropósitos nesta ou naquela esplanada. Disse em 1994. Não voltei. Nem espero voltar. Exactamente porque tenho essas mesmas queixas. Então por que voltam os outros?!...

abraços!
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?