26 março 2007

 

O Concurso dos Mortos

Não vi até ao fim o programa “Os Grandes Portugueses”, porque já sabia qual ia ser o vencedor.
E quem não o soubesse era parvo!

No entanto tive hoje uma agradável surpresa, quando soube que Aristides de Sousa Mendes ficou em 3º lugar. É caso para se dizer que a esperança é a última a morrer.

Para quem não tinha a certeza, ficou comprovada uma vez mais que o povo português não sabe votar. Sempre que vota, mistura tudo e confunde o resto. Não sabe formular perguntas ou responde indirectamente.

Basta pensar um pouco (um pouquinho só) e facilmente podemos constatar que sempre que há eleições, a maior parte vota para passar ‘cartões vermelhos’ ou para um determinado partido ou candidato não ganhar.
Esta é a forma negativa e destruidora como o português encara a
democracia.

A maioria das pessoas que votaram no Salazar, não foi porque gostavam da personalidade. Foi uma vez mais, a forma indirecta que o povo arranjou para dizer que está descontente.
Estão descontentes porque a promessa que lhes foi feita com o 25 de Abril não se cumpriu, se bem que na realidade, também não é necessário recuar tanto no tempo.

O povo português não entende nem gosta de viver em democracia e não é à toa que para este concurso de mortos, a maioria das personalidades escolhidas foram líderes ditadores.
Temo que a única forma de gerir esta massa amorfa seja através da ditadura.
O português em democracia resume-se a uma palavra: é tacanho.

Comments:
tens razaõ. era de prever que o Salazar fosse o vencedor!
 
Eu também já previa mas não entendo os tugas, tipo se o salazar é assim tão bom português para que é que serviu o 25 de abril...
 
A grande nota positiva foi mesmo a posição alcançada por Aristides de Sousa Mendes na votação.
Talvez este facto contribua para a integração desta crucial figura histórica nos manuais de História. Se Aristides não fosse português, já haveria certamente um filme de Spilberg "A Lista de Aristides" ou algo do género.
A vitória rotunda de Salazar...uma vergonha!
 
eu acho que os votos foram, na maioria, um gozo... nunca gostei dessa coisa dos grandes portugueses, agora ainda menos! :P
 
para veres como não são só alguns intencionados em passar cartões vermelhos ao governos os que defendem/votam em salazar, aconselho, mais do que a do post, a leitura de alguns dos comentários a este artigo que escrevi no meu blog. alguns são irreais...

http://oeclipse.wordpress.com/2007/02/05/salazar-melhor-portugues-de-sempre/#comments
 
Olá,
Dedico-lhe este poema magnífico da autora “Maria Petronilho”
Com uma bela semana...

Deixar Passar a Poesia

Abrir a voz.
Deixar passar a transparência
Como quem quer matar a sede

Na fonte a mão escorrendo água...

Do livro: Nas Asas do Mar

Beijinhos
ConceiçãoB
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com
 
Desde o BigBrother que desconfio das votações na TV.
Quiseram que ganhasse o Saslazar.
Parabéns à prima !
 
o povo é quem mais ordena.
 
caro lfm, as interpretações podem ser as mais diversas... não sei se não há uma grande maioria à procura de um "grande lider pai", e até não sei se já não O encontraram... até os nomes iniciados por "s" me parecem demasiada coincidência....
 
ora la ta ...isto de votar é mt complicado para um português...ja com referendos é a mesma coisa..isto claro esta quando decidem votar!
 
Isto cheira a uma brincadeira de mau gosto de uns...a uma mobilização ressabiada de outros! E ainda ao descontentamento de muitos cidadãos que se queixam dos estado mediocre do país mas que depois fazem com que a abstenção nas eleições sejam superior a 50%...enfim! Escrevi um pouco sobre isto também numa tentativa de acordar algumas memórias que parecem esquecidas
 
Caros,

aquele programa fazia todo o sentido, não fosse ter sido feito em Portugal.

Como é que um personagem que salvou 30.000 pessoas pode ficar em 3º lugar, se o seu acto colocou em causa a vida de 10.000.000?

Como é que em 2º lugar fica uma figura que nunca fez RIGOROSAMENTE nada pelo país?! Será que a votação do grande Português foi alargada aos países da ex-URSS?

Como é que em primeiro lugar fica o ultimo ditador da historia de Portugal, com uma pequena diferença, é que os restantes ditadores da historia aconteceram numa altura em que não existia democracia...logo...

Bom, mas mais aflitivo foi ver todos os comunistas disfarçados de Socialistas moderados a apelar ao "Voto útil", pois desconfiava-se que Salazar estava a ganhar.

Aflitivo foi ver a transloucada de esquerda defender que a constituição proíbe manifestações de apoio ao antigo regime. Mas se a democracia proíbe...o que é a ditadura?

Quereria aquela senhora mandar prender todos os portugueses que votaram em Salazar?

Enfim...é o País que temos!


Ass. ZeP
 
Tacanho, tacanho, não diria. Estúpido, isso sim!

Se o povo é quem mais "ordenha", há-de convir que tem a sua piada o maior anti-democrata em Portugal ser eleito numa votação democrática.
O tuga não tem memória curta. Para que isso acontecesse, precisava de ter cérebro.

Ah, em resposta ao "Anonymous" (deve ser muito conhecido: aparece muitas vezes em quase todos os blogues...heheheh:

1- o 3ºclassificado nunca poria em risco 10 milhões por 2 razões:
1.1 - De 1939 a 1945 Portugal nunca teve 10 milhões de habitantes;
1.2 - Hitler não gostava de praia e sabia que invadir Portugal era controlar o Atlântico Norte e isso não iria agradar aos americanos, que entrariam mais cedo na guerra(e isso Hitler não queria, pois apesar de todos os defeitos, até foi um brilhante estratega militar e político!...)

2 - O 2º classificado nunca fez nada pelo país? Das 3 uma:
2.1 - O anonymous não é português;
2.2 - O anonymous é português mas nunca teve aulas de história;
2.3 - o anonymous é português, teve aulas de história mas é burro que nem um calhau... melhor, que nem uma pedreira...

3 - O vencedor é ditador em tempo de democracia...dahhhhh. O anonymous deveria saber que os outros "ditadores" não o foram, até porque a monarquia é um sistema político completamente diferente do que tenta expor. E, se formos analisar correctamente a situação e tivermos em conta que vivemos numa democracia MODERNA, até poderemos dizer que a monarquia nasce das cinzas da democracia ateniense...


Quanto à sua última justificação (pese embora tremo desde já ao chamar às suas débeis palavras justificação...), chamo a sua atenção para o facto de não vivermos numa anarquia, mas sim numa democracia participativa, pelo que existem regras e punições. As leis proíbem muita coisa, como deve saber. Pena é que não proíbam comentários de boçais, e eles mesmo boçais...

Poupava-me tempo de resposta...


Ahhhh, afinal, sr. ZeP, assina e reconhece o que escreve. Pena é que desta forma prove que a velocidade de escrita é maior do que a do pensamento... Pense antes de escrever...
 
Meu caro antes de mais obrigado pela visita.

Fico sempre curioso na forma como me aparecem visitas novas no meu blog, isto tendo em conta que não encontro qualquer ligação, quer pelos endereços linkados no teu, e pelos comentadores nos teus post´s, quer pelo facto de eu não explorar outros blog’s.

Quero ainda referir que fiquei agradado com o teu espaço e voltarei com certeza.

Por último e no âmbito do post, concordo em absoluto com a conclusão deste, mas, se tiver de se recorrer a uma nova ditadura para gerir esta massa amorfa, que se utilize uma ‘ditadura cultural’, tipo, fica toda a ‘gentinha’ obrigada a instruir-se e a obter resultados.
Reconheço que de início, porventura não teríamos prisões para tanto estúpido, contudo a médio prazo, estou convencido, poderíamos passear livremente pelas ruas, sem ouvir tanta alarvidade, ou ver tanta coisa mal feita, investimento a médio prazo portanto.

:)

Abr
 
boa, boa!!!
 
Sim, realmente há coisas que nunca mudam. O que é uma pena...
 
Caro Karl,

fico contente por saber que és uma pessoa extremamente culta, apesar de poder ou não concordar com todas as tuas afirmações, mas isso é democracia e felizmente que a temos!

Quanto à questão do 3º classificado, referia-me não só aos Portugueses residentes, mas sim a todos os Portugueses espalhados pelo globo. Não sei se o proposito de Salazar ao dar indicações a ASM para não passar os vistos seria o de efectivamente nos manter afastados da guerra, mas se o foi, pode ter-nos salvo de sermos directamente envolvidos no conflito e/ou os Portugueses persguidos.

No que respeita ao 2º classificado, apesar de a figura em si não recolher a minha simpatia ( sim, apenas simpatia porque não tenho qualquer tipo de orientações politicas ou religiosas. O meu voto não se divide entre esquerda e direita, muito menos entro em radicalismos, voto sim em consciencia do programa apresentado e da confiança que as pessoas envolvidas me podem suscitar). No entanto fico triste pelos meus professores não terem sido suficientemente capazes de me explicar ( ou eu de entender ) a importancia de AC para a historia de Portugal.

Quanto ao primeiro classificado, penso que será unanime que se tratou de um voto de revolta das pessoas e quase de um certo "gozo" social pelo facto da RTP incluir AS na votação.

Muitas das pessoas que votaram provavelmente nasceram em tempos de democracia, tal como eu, e nunca conseguiremos avaliar na realidade as atrocidades cometidas, por mais informados e documentados que possamos estar.

Ainda à pouco tempo ouvi um comentário sobre o nº de suicidos que tinha vindo a crescer ( fruto do desenvolvimento e crescente abandono das zonas rurais e dos mais idosos ) e qual não foi o meu espanto quando verifiquei nos anos do estado novo não existiram suicidios em PT. Porquê? Porque não se podia saber!

Quero com isto dizer que mesmo as pessoas que de alguma forma poderão defender AS e o seu regime, fazem-no porque lhes era sonegada a verdade e faziam-nos crer numa sociedade que não existia.

Como é que um país tão rico em historia, parte importante na descoberta do mundo tal como o conhecemos hoje, pode considerar como as 3 figuras mais importantes da sua historia pessoas que marcam o periodo mais pobre da nossa historia?

Ass. ZeP
 
Caro LPM,
Agradeço a visita ao Do Mirante e o comentário deixado. É um prazer ver que no meio das visitas há alguém com capacidade para avaliar o que se diz.
Foi uma oportunidade para vir aqui dar um olhar que foi agradável e me faz voltar.
Realmente este assunto só poderá ter o mérito de nos debruçarmos com mais atenção sobre as personalidades trazidas ao primeiro plano. A sua opinião não difere muito da minha, e os comentários mostram bem o leque de pensamentos existentes na nossa sociedade.
Uma coisa gosto de evitar que é atribuir aos portugueses os seus defeitos, preferindo dizer nós. Temos todos que fazer quanto pudermos para melhorar a cultura a maneira de estar e de pensar de NÓS, portugueses. Os blogues têm uma missão importante nesta acção didáctica de fazer com que pessoas pensem, pela sua cabeça sem esperarem os chavões que outros lhes tragam.
É certo que nem todos têm computador e ligação à internet, mas devemos procurar chegar o n´mais longe possível, e uma forma é utilizar os comentários, as transcrições de posts que achemos de divulgar ou fazer referências e links ara aquilo que houver de melhor.
Um abraço
A. João Soares
 
Foi seguramente um voto de protesto, ou talvez a nostalgia da autoridade
 
Felizmente não vi esse programa de entretenimento. Ao que tenho me apercebido até como tal foi mau..
Com os meus cumprimentos
 
Basta ver como gostamos (salvo seja) do Socrates
 
Mais uma vez, caro Anonymous (ZeP)...

Alguns pontos que deveria ter em consideração:
- Salazar não deu autorização para os vistos com medo de que a Alemanha retirasse dos seus cofres o ouro roubado ao Povo Judeu durante o conflito.
- Durante o regime salarista acontecia tudo o que acontece nos nossos dias (incluindo suicídios, mas não no Alentejo, até porque a GNR se encarregava de fazer o trabalho sujo, como matar camponeses e espancar mulheres e crianças...), com a única diferença de que, como o Aparelho de Estado controlava a Censura e a Comunicação Social, a população era mantida na mais completa ignorância - objectivo último de AOS (afinal um povo ignorante é dócil e facilmente domado);
- AC foi figura fundamental no derrube do regime e ainda hoje os personagens de todos os quadrantes do espectro político (da esquerda à direita) mesmo que não concordem com as suas ideias, lhe reconhecem tal facto;
- Imagino que será da minha geração, pelo que a matéria que lhe foi dada pelos seus professores no liceu, relativamente ao 25 de Abril de 74 foi pouca ou nenhuma, como convêm (a nossa democracia participativa baseia-se no mesmo pressuposto de Salazar - um povo ignorante é dócil e manipulável...). Peço-lhe encarecidamente que, quando tiver filhos (se é que já não os tem), lhes diga para eles pressionarem os professores para um ensino completo da história. A votação trágico-cómica de Domingo passado, mais do que ignorância, reflecte uma tentativa de branqueamento dos factos históricos.
- Por fim, pense nisto: se lhe dessem o dinheiro para tentar sobreviver, mantendo-o na ignorância, privando-o da sua liberdade enquanto ser humano, o que faria? Concerteza não votaria em Salazar...
 
Muito bem visto!
Bjs
 
Boas!

Acabo de ler um comentário sobre o polémico programa da RTP ( uma recriação de um programa da BBC ) em que se diz que a Alemanha recusou-se a incluir o nome de Hitler no concurso, e que a Espanha e Itália negaram-se mesmo a fazer o concurso, para não correrem o risco que Portugal correu.

Em certa medida faz-me lembrar a temática da constituição Europeia, se sabemos que não vamos ganhar, então não há referendo...

Também aí se considerou que as "negas" da Holanda e França foram votos contra o governo e não contra a Europa. Mais uma vez se levanta a questão de as pessoas não saberem votar e utilizarem o seu voto como protesto, mas isto não é subverter o sistema?

Como é que vamos alguma vez conseguir fazer a distinção entre o voto certo e o voto contra ( desde que não seja em branco ou nulo )?

Enfim...sinceramente não consigo julgar qual dos países procedeu de forma mais correcta, porque se uns arriscaram e "perderam", os outros não arriscaram e "perderam" também.

Cmpts,
ZeP
 
Então...pelos vistos só a linha para votar no salazar é que estava aberta...lol!!!
 
Com gosto e com gozo tomei conhecimento deste blog, pelo seu comment quando foi lá a casa.

http://pedronunesnomundo.blogspot.com/

Há para aí tanto lixo virtual que blogs de opiniões sensatas e estruturadas (sejam elas quais forem) nunca são demais!

Não nos deixemos atolar!

Parabéns.
 
No fundo tudo se pode resumir a admitir que o Salazar é que tinha razão? Que o voto nas mão do povo é inútil?
Faz-me lembrar um pedaço de uma letra de uma música de Gabriel, O Pensador, que diz: "A voz do povo é a voz de Deus, quem disse isso não fui eu. Não sei quem disse isso, mas concerteza era ateu..."
Se o povo está afónico e não sabe o que fazer com o direito que lhe é dado - e inerente dever conferido - estão que seja instruído!
"Para quem sabe olhar para trás, nenhuma rua é sem saída", dizia o poeta brasileiro Gabriel (poeta nas palavras, atitudes e convicções...), e o povo tem palas (como os burros).
Independentemente disto tudo, um concurso vale o que vale. Mas quantos de vocês querem apostar que os mesmos que elegeram esta maioria vão fazê-lo novamente?
A minha avó costuma dizer que Deus, por vezes, parece que se esquece dos portugueses... é normal: Vozes de Burro não chegam ao Céu!
 
Karl, o fim do estado novo não se deve à acção de cunhal, mas sim aos militares.
 
Dlm, vai-me fazer acreditar que o aparelho partidário do PCP não influenciou, manietou e até manipulou o MFA?
Acha mesmo que os militares pensaram em tudo sozinhos?
Mas já imaginou o que era provar-se esse envolvimento de forma clara e inequívoca, e passar a mensagem de que afinal os comunistas não são seres malvados que comem criancinhas ao pequeno-almoço(não há comunistas na Casa Pia...)?
No fundo, podemos então afirmar que Salazar foi derrubado por um tipo de Paços de Ferreira... aquela cadeira já devia ter vindo bamba da oficina...
 
Karl,

não tenho a minima dúvida que esta maioria seria novamente eleita se fosse a votos, e quem sabe se com maior vantagem. Digo-te isto apesar de não ter votado neste governo, mas de lhe reconhecer alguma veia reformista.

Pior do que errar nas medidas a tomadas...é não as tomar, e Portugal não podia continuar a viver no "pantano" a que chegou e nas crises do Santana Lopes.

Quanto ao carpinteiro de Paços de ferreira, ainda alguém vai defender a teoria de que pertenceria aos serviços secretos de um país "frio".

Ass. ZeP
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?