11 maio 2006

 

Maratona a Fátima

Ia a passar na estrada e vi 3 pessoas na berma com os coletes fluorescentes vestidos. Passados alguns metros, outros tantos.

Pensei para comigo: “Isto hoje está um caos em acidentes, mas espera lá, e os carros, onde estão?”

Claro, como não me lembrei disso antes, é a tradicional maratona para Fátima.

É a prova de atletismo mais estúpida que conheço, cada um faz os km’s que lhe apetece, com as pausas que bem entende, a correr ou a rastejar, ... estou a brincar, claro que sei que não é desporto, mas é estúpido.

Só sei que estão reunidas as condições para baterem um novo recorde de presenças. Não, não é apenas por o dia 13 calhar a um Sábado.

A situação de descrédito total em que o país caiu, leva a que a população procure conforto e tranquilidade emocional. A religião sempre foi, é e será uma solução, especialmente em sociedades pouco racionais e muito temperamentais (como a nossa).

O primeiro indício de que a população portuguesa recorre à fé quando as coisas dão para o torto, é o aumento do volume do jogo. Apesar das hipóteses, acho que é mais provável que me saia o totoloto, do que receber ajuda da santa. Espera lá, estou a ser injusto, só sai a quem joga e eu nunca lixei os joelhos por Fátima.

Enfim, acho que este governo deve pensar que a salvação está no IVA cobrado nos artigos de merchandising de Fátima e no imposto sobre o jogo. A receita apenas seria melhor, se os peregrinos, em vez de ir a pé, fossem de carro para gastar mais gasolina.


Comments:
Somos um povo fraco de espirito
Aposto em como a igreja vai aproveitar o fenómeno economico para afirmar que estão a crescer.
É triste que uma religião cresca em sentido oposto ao desenvolvimento de um país.
 
Engraçado teres este post antes do post do Carrilho Calimero. Pois parece-me que este discurso em relação à Igreja é tb um discurso pouco inteligente, mais do já dito, e um tanto ou quanto
ressentido (seja lá porquê).

Sem pegar nos produtos de merchandising de Fátima (que obviamente tb me metem confusão) a verdade é que cada um tem o direito de fazer o que lhe apetece e o q lhe faz sentir bem. E para 300.000 pessoas (e parece-me ofensivo e até snob, chamar a este mar de gente: pessoas burras, marionetas da Igreja ...) peregrinar até Fátima (ao q tu chamas desporto estúpido) é bom, faz-lhes bem à alma .
E o que é que isso pode ofender no intimo alguém q não acredita?! Não consigo perceber.

Reclamar por tudo, e usar a cassete do costume isso sim parece-me um passatempo estúpido.
 
agora vejo que precisa de aprovação os comentários para entrarem no teu Blog.

Discurso tão modernista para umas coisas e censura camuflada para outras.

Já seria de esperar.

=)
 
Boas Verónica,

Começando pelo fim e terminando no mais importante...

O blog é MEU e, para além de querer ter uma noção da minha audiência, quero evitar que quem comenta não foge ao tema do ‘post’. Assim sendo, irei continuar a ter mais trabalho a, pura e simplesmente, ter de ‘aprovar’ os comentários.

Sou bastante liberar. Aliás sou tão liberal em relação à igreja como sou em relação ao sexo, “cada um tem o direito de fazer o que lhe apetece e o q lhe faz sentir bem”. Acrescento, sem forçar 3ºs a nada e atenção aos limites.

Não me ofende em nada, apenas continuo a achar essas manifestações de fé estúpidas e aceito que também aches estúpida a minha romaria semanal para jogar no euromilhões. Se não achas, melhor para ti! Pois eu vou continuar a jogar na mesma, e milhares de pessoas vão continuar a ir a Fátima.

Há uma diferença, eu ando 100 metros pela minha fé e como sou preguiçoso, se sofresse da outra fé, mudava-me para Fátima.

Não escondo que gosto de criticar a religião, mas o principal objectivo deste meu ‘post’ foi analisar o fenómeno numa perspectiva social e psicológica, e tentar relacionar o descontentamento de um povo com o aumento do consumo de um dos seus tradicionais ópios.

Terminando (tal como prometido) no mais importante (pelo menos para mim), o meu obrigado por ter visitado o meu Blog e desculpe qualquer coisinha.
 
Caro DONO do blog

vivemos num mundo onde o respeito pela diferença está na ordem do dia. E ainda bem. Há quem seja vegetariano, há quem seja adepto fanático de um clube, há quem lute pelos direitos dos animais, há quem lute pela liberdade sexual, há quem acredite em Fátima, há quem n acredite em Fátima, há quem n ache vergonhoso andar 100km a pé, há quem jogue no euromilhões ( o mais recente ópio do povo), há quem n jogue. Mas devemo-nos respeitar, ou tentar compreender o q move cada um. Acho q a maior falha q se comete na crítica à Igreja (e é aqui q eu falo em critica "cassete") é não se ser capaz de discernir Igreja instituição (composta por homens q erram como qualquer humano) e fé ( relação pessoal com o divino)- e penso que é aqui que temos que respeitar e é aqui q seu post falhou.
Mas ainda bem q há liberdade de expressão. E no blog tb. ;)

Ir a pé a Fátima, a Compostela, ou a um santuário estrelado no fim do mundo é bonito. Essas pessoas são corajosas por sairem do sofá e aceitarem experienciar uma caminhada ( q n é mais q uma metáfora da própria vida)

desculpem a seca

BE HAPPY
 
Caro LFM:

1. Parece
obvio que o blog é TEU. Reafirmá-lo utilizando a a tecla 'Caps Lock' é um exagero um tanto ou quanto desmedido. Afigura-se-me que a Veronnica apenas quis apontar o facto, caricato ou não, de ao teres estabelecido essa regra de 'análise a priori' dos posts, poder parecer que poderás 'censurar' aquilo com que não concordas. Pode não ser esse o caso, mas é fácil fazer este raciocínio.

2. Depois, tens de concordar que o teu ataque revelou-se algo mal fundamentado, mais parecendo um discurso de velho de extrema esquerda ressaibiado com a igreja e com a religião. Aliás, o outro post que tens confirma isso mesmo. O fenómeno que te chocou na televisão, bom ou mau, só prova precisamente QUE NÃO SOMOS UM POVO FRACO DE ESPÍRITO.

3. Começa logo com o teu uso de certas expressões que, à partida, e na minha humilde opinião, te RETIRAM qualquer razão de argumento. Assim, não se trata de manifestações de fé 'estúpidas', da mesma maneira que meter o Euromilhões ou o Totoloto todas as semanas não é estúpido (na verdade foste tu que o afirmaste). Nada disto é estúpido. ESSTÚPIDO é criticar e dizer que 'não sei o quê' é estúpido só porque não se partilha dessa opinião, perspectiva ou maneira de viver. NA tua óptica, tb os muçulmanos que rezam 3 vezes ao dia impreterivelmente, são estúpidos? Os judeus que passam horas virados contra o muro das lamentações...tb são estúpidos? A quantidade brutal de gente que se desloca para um estádio de futebol para ver 22 gajos a correrem atrás duma bola, tb são estúpidos? É óbvio que não. E falei do futebol para te MOSTRAR como se devem dizer as coisas. Não aprecio futebol e não concebo sequer a ideia de perder tempo e dinheiro com o futebol. Mas milhões fazem-no. Não os considero estúpidos. Apenas que cada um tem a sua maneira de ser FELIZ. Se uns são felizes no futebol e ninguém acha mal, pq é que se outros são felizes a irem a Fátima terão de sofrer as críticas? É simples: tudo isso resulta de um forte sentido anti-clericalista fortemente enraizado na nossa sociedade, iniciado no 25 de Abril. Muitas vezes uma pessoa nem sabe o que está a criticar ou mesmo PORQUÊ. Apenas sabe que se tantas pessoas criticam é pq têm razão. É mais fácil ser apenas mais uma ovelha no rebanho do que sair dele e pensar por si. MAis complicado é para preguiçosos.

3. Ao dizeres que "Não escondo que gosto de criticar a religião" apenas provas o que acabei de afirmar. Uma pessoa com capacidade de raciocínio e de argumentação "não gosta de criticar" o que quer que seja. Gosta sim, de criticar TUDO, QUANDO TEM RAZÕES PARA ISSO, E ARGUMENTOS VÁLIDOS. Não apenas pq é da moda, pq lhe fica bem, ou pq os que o rodeiam tb o fazem. Isso revela fraqueza de espírito e AÍ SIM CONCORDO COM O OUTRO POST: Somos mesmo um país de fracos de espírito. Fracos que passsam mais tempo a ver o que está mal e a falarem até á exaustão disso, em vez de deixarem de ser facilitistas e peguiçosos e ousarem ver o que há de bom, o que se pode aproveitar e TRABALHAR para fazer deste país alguma coisa. MAs não....com esta mentalidade NUNCA havemos de sair da cepa torta.

4. "Há uma diferença; eu ando 100 metros pela minha fé e como sou preguiçoso, se sofresse da outra fé, mudava-me para Fátima"

Que diabos significa esta frase? Tens consciência que não tem sentido algum?

MAs ainda assim vamos tentar descortinar algum: achas portanto que o que diferencia as coisas (que à partida e a meu ver não têm nada a ver uma com a outra) é a DISTÂNCIA? Tu és menos estúpido pq andas 100 metros e os outros são estupidos pq andam dezenas de KILÒMETROS? É isso? È pena, pois parece que tu não percebes o prazer duma viagem. OS que fazem viagens são estúpidos. Mais valia mudarem-se para o seu destino. Sempre andavem menos? Será isto que queres dizer? Sinceramente não sei.

5. Por fim...sem querer estar a discutir a questão da fé a fundo. Achas mal que algumas pessoas encontrem conforto numa fé religiosa? Se calhar é verdade, qdo o povo está mal aumenta a religiosidade. Sempre foi assim. Mesmo a nível de POVO como a nível individual. ATÉ TU serás assim, quase que o posso garantir. Desde que colocado na situação adequada a despoletar isso.

6. Por isso, deixa de citar autores cliché e fundamente bem o que opinas.

LEMBRA-TE: uma coisa é teres uma opinião. Outra coisa é apresentá-la como a melhor, a mais verdadeira sendo as outras 'estúpidas'. Tns direito a uma opinião, MAS NÃO tens direito a insultar as opiniões e opções dos outros, principalmente qdo não te prejudicam, nem prejudicam ninguém
 
Cara Verónica,

Não te tento mudar a ti, assim como tenho a certeza absoluta que não vou mudar.
Respeito a tua fé, como respeito a dos outros, mas isso não me impede de os criticar.

Eu critico genericamente as religiões e as pessoas com fé em particular, em proporção directa com o fanatismo provado pelo crente.

Acho estúpido e recuso-me a classificar a intensidade do martírio em nome da fé. Há quem ande ‘apenas’ 100 km a pé, há quem se crucifique e autoflagele por altura da Páscoa, há quem mate animais em sacrifícios, etc..

Não acho vergonhoso e até acho corajoso andar a pé 100 km. Se muitos dos que lá vão, não têm coragem de dizer a outros que não querem ir, ou têm vergonha de o assumir na comunidade em que vivem, é um outro tema que também daria muitas linhas.

Volto a afirmar, que se a situação económica do país não estivesse como está, o numero de ‘crentes’ seria bem inferior.

Gostei sobretudo da forma como já separaste as águas (homens e divinos).
Este é o tema chave. Num mundo tão imperfeito como o nosso, a noção de divino (no meu entender) tem pouca aplicabilidade. Resta-nos o outro, o imperfeito, do qual faço parte.

Não peças desculpa pela seca (eu não o acho) e faz como eu, cria um blog, e espalha a ‘palavra’, pois quem corre por gosto (até Fátima, ou não) não se cansa.
Por questões editoriais do blog, compreendo a seca que possa ser para os restantes leitores. Sempre que faço um posto, tenho o cuidado de o fazer pequeno, mas podes sempre escrever-me para o meu endereço que respondo. E já agora, desculpa qualquer coisinha.
 
Err.....LFM....eu não sou a Veronica. Está bem? ;)
 
Oops. Não tinha reparado no post anterior da Veronica. Ok. ;)

Denoto com pesar que continuas a utilizar a palavra "estúpido".

Outra coisa: a veronica não 'separou as águas' entre 'homem e divino'. Separou sim entre Igreja-instituição e a religião (que é algo pessoal e não institucional).
 
Caro Keeper,

1. Falando em exagero e porque devo estar enganado, o teu ‘Caps Lock’ tem um problema. É óbvio que o raciocínio está correcto, o tempo depois o dirá, mas julgo que já expliquei a minha opção.

2. Não sou velho (nem mesmo quando já não tiver idade para trabalhar), nem de extrema-esquerda, mas se há coisa que aprecio são as igrejas. A religião, essa dispenso. Quanto a não sermos um povo fraco de espírito, fala por ti, eu falo por mim e a média do país dá aquilo que gosto de comentar.

3. Tens razão, estive a pensar e a palavra que uso mais no meu dia-a-dia é estúpido. E estúpido sou porque como tudo aquilo que critico, também eu não mudo. Também eu não gosto de futebol, também esse um ópio do povo, mas tal como na religião, há estúpidos e ‘não praticantes’ e sobretudo gente feliz.

3 (não será 4, qual dos dois 3 escreveste primeiro?) Não sou anarca nem tenho critérios muito definidos sobre o que vou criticar (positiva ou negativamente). Vou vivendo um dia a seguir ao outro e no que tropeçar, comento. Estou especialmente em desacordo contigo neste ponto, pois acho que a situação em que nos encontramos foi devida a não se falar do que estava mal.
Acredita que o que está ao meu alcance mudar para o bem de todos, mudo! Ao que não ’chego’, alguém que leia, pense e mude por mim!

4. (ou 5, já me perdi), Quanto ao sentido, depende, se estou a ir ou já estou de regresso.
Mas já agora, que sou leigo nesta matéria, quem mora em Fátima, vai e vem a Coimbra, ou faz dois santuários de costas?
Agora sim, tenho plena consciência que já estou a ‘brincar’ com a religião como gosto!
Lê o meu comentário anterior e ficas já informado de que não vou discutir a intensidade do martírio.
Não sou um grande turista mas dou importância aos itinerários. Mas afinal a ida a Fátima no 13 de Maio é turismo rural? uma excursão? uma procissão? uma romaria? uma maratona? Afinal estamos a discutir o quê? “Sinceramente não sei.”.

5. (ou será 6, não sei) Decididamente, quando me meti num blog foi para não escrever um livro. Por isso, não, não vou discutir aqui a questão da fé a fundo. Acho bem que as pessoas encontrem conforto numa fé religiosa, assim como outros o conseguem no divã de um psicólogo. Ufa, aí está “Se calhar é verdade qdo o povo está mal aumenta a religiosidade. Sempre foi assim. Mesmo a nível de POVO como a nível individual. ATÉ TU serás assim, quase que o posso garantir. Desde que colocado na situação adequada a despoletar isso.”. Resta saber qual a ‘religião’ que vou escolher e qual a prova de atletismo estúpida que vou praticar.

6. (agora completamente perdido, pois contei 7 parágrafos). Essa escapou-me, pois não sei qual foi o autor que comentei.

Lembra-te: enquanto não me prejudicarem, desculpa qualquer coisinha.
 
Meu caro LFM.

Assim se prova mais uma vez o que disseste. Realmente este povo é MESMO caracterizado pela fraqueza de espírito.

Paciência. É assim. Felizmente as coisas vão melhorando.

A numeração dos parágrafos é irrelevante; mais valia não teres perdido tempo a comentar. Mas pronto. Tb não vou fazer-te perder mais tempo a leres o que escrevo, uma vez que, dado o que apresentas em resposta, é manifesto que não percebeste o sentido. É natural que isso aconteça a quem se preocupe mais em contar parágrafos do que perceber o contúdo de um texto.

"Vou vivendo um dia a seguir ao outro e no que tropeçar, comento", dizes tu. Está bem....cada um vive a vida como quer e critica como quer. Mas ao fazer isso é melhor preparar-se para receber críticas.

No fundo continua a ser o que te disse meu jovem: NÃO É COM A TUA OPINIÃO QUE EU DISCORDO. É sim, COM A TUA MANEIRA DE A EXPLANARES E, principalmente de A FUNDAMENTARES. É um modo de fundamentação basicamente inóquo e sem efeito.

Apenas dois comentários finais: sabes qual é a tecla "Caps Lock"? Foi a que utilizaste quando escreveste a palavra "meu" desta forma: "MEU".

E é óbvio que não sabes qual o autor que citaste ou comentaste. Não me espanta muito. Mas acredita que o fizeste.
 
Meu caro Keeper

De facto a numeração dos parágrafos era irrelevante, assim continua para mim e espero que assim seja para ti também. Aliás, mal seria para o humor se o irrelevante desaparecesse.

Tenho gostado de todas as críticas que recebo, das tuas e das outras. Aliás, já nem sei se gosto mais de publicar post’s, se responder aos comentários. Claro que o próximo passo, quando não tiver tempo, será abolir os comentários, mas temos que o blog vá logo atrás.

É-me de facto difícil fundamentar a religião e é esse pequeno grande pormenor, que quem tem fé não entende. O problema é que até hoje também nenhum dos crentes me conseguiu explicar esse fenómeno.

Devemos ambos saber muito bem de que teclas estamos a falar e de quando a utilizamos.

Folgo em saber que o meu estimado frequentador do blog, é uma pessoa dada a várias leituras (também eu), mas acredite que se fiz o que diz, desta vez não foi propositado.

Pelo exercício mental e manual que me proporcionou, dedico-lhe a si o meu próximo post e desculpe qualquer coisinha.
 
LOL

www.enoughisenough.com
www.jatatudodito.pt

È bom discutir, porque da troca de argumentos pode sempre advir um melhor conhecimento. Nem sempre claro.

Não há que levar a mal, mas sim viver e conviver sempre, uns com os outros, pois precisamos todos uns dos outros no fundo.

;)
 
Caro Keeper,

Espero poder continuar a contar com a sua opinião. Não quero estagnar e sem ajudas como a sua, até posso retroceder.

Tinha de comentar, sobretudo porque este post não pode ficar com '13' comentários.
 
Supersticioso? ;)

Ok. Como alguém disse acima: let's BE HAPPY.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?